24/10/2017

Da estranheza de ser


Todos os dias, quando arranjo uma brecha, venho pôr em dia a leitura dos blogues que sigo. Leio um e outro e depois mais outro, e a cada leitura me vou questionando: Como têm coisas para contar das suas vivências,  quanta coisa vêem apenas passando o olhar, quanta sensibilidade, aos e ao que os rodeiam. Como são assertivos, nos temas, na escrita, como se expressam tão bem, tantas vezes num português tão cuidado. Caramba! não é inveja, não sou uma pessoa invejosa, mas naqueles momentos, por vezes, pergunto-me o que vim fazer a este mundo. Se trouxemos uma missão, qual terá sido a minha... Eu sei, sou meio folha de louro, directa, incisiva, até um beijo meu deve arranhar mas, é assim que sou, preto no branco, sem meias tintas, sem saber gerir o politicamente correcto. Não sei sentir rancores de estimação, ódios camuflados, nem mesmo sorrir sem vontade, e se eu sou de riso fácil :-))   -  Ou gosto, ou me são como o melhoral que nem faz bem nem faz mal - É, não tenho jeito nenhum para dizer, gosto-te,  amo-te, mesmo que esses sentimentos sejam o que suportam esta vida meio apagada, numa ânsia presa de voar, na cobardia do certo pelo incerto ou simplesmente medo, ou, o mais certo, na percepção exacta de que não tenho nada para dizer e, se tivesse, não o saberia fazer.


*****
2017-10-24
nn(in)metamorphosis

15 comentários:

  1. E ainda assim acabaste de o fazer...

    É irónico, não é? LOL

    Deixa estar. É melhor, por vezes, estar calado do que, à semelhança de tanta gente por aí, desgastar as palavras em frases e textos sem sentido...

    Bj Grande

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu deixo, sei que não sou uma contadora de histórias, não sei florear, fazer grande uma coisa que, podendo mesmo ser grande, durou um nadinha a acontecer. Mas, isso não me impede de apreciar quem o sabe fazer, fazendo-o bem. Eu sinto, sinto muito, e escrevo o que sinto nas atitudes, nas acções, sempre que é preciso e quase sempre com poucas palavras ou nenhumas. Fazer o quê? :-)

      Boa tarde Sô Gil

      Eliminar
    2. Olha lá, e precisas?

      Claro que podes e deves apreciar. Mas nem toda a gente é contadora de Histórias :) E, como te disse, por vezes é melhor ser-se directo e sem floreados do que gastar palavras à toa e não dizer nada. Olha, já tive um politico a dar-me uma resposta a uma pergunta durante dez minutos e falou tão bem que eu quase me esqueci que não me respondeu... (quase, porque não me esqueci e fiz questão de lho dizer, só para ele não ficar com sensação de que sou burro - parvo, tudo bem, mas burro só às vezes)

      Mais vale pouco e bom do que muito e mediocre (ou mau...)!

      :)

      Eliminar
    3. Tábenhe! Tou conbencida. :-))

      Eliminar
  2. Primeiro que isso é treino... treinar, escrever... contar coisas....
    Quanto à missão por aqui, ninguém sabe qual é ela...
    Se fosse assim, não haveria graça...!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não chega. É preciso ter jeito, ter dom, ou acaba-se a escrever muito e a dizer nada. Acabei de ler isso, aí em cima, e concordo em número e grau :-)
      Eu não tenho peneiras, aceito que não tenho jeito nem espaço onde cair, reduzo tudo ao essencial, demasiado pragmática, creio, mas isso, perante mim, não me diminui nem me torna insensível, mas passível de má interpretação, isso sim, muitas vezes.
      É o que há - Siga pa bingo :-))

      Eliminar
  3. Oh Non, tu és das pessoas mais assertivas que conheço, os teus comentários são sempre certeiros, os teu conselhos também, as tuas palavras são de quem sabe ver as coisas. Gosto de ti! Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gosto de TU, para lá de tanto, como diria o meu afilhado Manel mau tempo, de Tu e dos TUS posts :-))

      Abreijo daqui até aí

      Eliminar
  4. Aceita um abraço, pelo menos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo menos e pelo mais, desde que não seja de pena, venha lá ele :-))

      Eliminar
  5. Querida Nonamamiga

    Entraste-me no coração e lá ficarás para sempre com o carinho que me dispensaste sobre o tema da maldita bipolar. Digo-o assim cara-cara sem merdinhas porque tu merece-lo.

    Sobre o texto continuo e a admirar-te dos textos que escreves; além disso nas escrevinhadelas somos irmãos gémeos...

    Muitos qjs do

    Henrique, o Leãozão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Henriqueamigo

      O Lobacho tá contigo! :)

      Enorme abraço

      Eliminar
    2. Ó Sô Gil, olha eu aqui toda peneirosa, tenho lugar num coração de leão, e esta hein!

      :-)

      Eliminar
  6. A princípio comecei por concordar contigo, porque me ia revendo na tua análise sobre os escritos que se vão lendo pela blogosfera, e o quanto gostaria de saber expressar-me como «eles e elas»....:)
    Mas quando começaste com essas 'coisas' de te apoucares...alto e pára o baile!! Quê lá isso? Tu és uma grande Mulher e escreves lindezas feitas de verdade e sentimento!

    Toma lá um beijinho grande e deixa-te de coisas!! Ehehehehe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha querida Janita, jamais me apouco, só não me ponho em bicos de pés - tenho plena consciência, do muito que não sei, mas do que sei, não abro mão, e saber que nada sei, é saber muito eheheh.
      Lê o que digo ao PDR, para não me repetir.

      Abreijo daqui até aqui

      Eliminar

Os comentários são moderados - tão breve quanto possível, serão publicados. Grata pela compreensão.