NÃO!

NÃO!

30/03/2019

Comadres



Se a saudade perguntar por mim, não lhe digas nada, nem mesmo onde pensas, eu possa estar.



*****
2019-03-30
nn(in)metamorphosis

 

28/03/2019

Djembé



Não sei porque cantam as gotas de chuva.
Mas sei onde me levam, quando me soam a tamborilar de djembé.


*****
2019-03-28
nn(in)metamorphosis




27/03/2019

Dos dialectos


O suspiro é um dialecto que se escreve no ar.


*****
2019-03-27
nn(in)metamorphosis


26/03/2019

Dos silêncios ruidosos


No silêncio do mar, apaziguo o ruído das memórias.


*****
2019-03-26
nn(in)metamorphosis



25/03/2019

A Primavera



É uma menina que brinca de florir
Descalça, saltita nas chorinas do jardim
Baloiça-se no meu jasmim

Sempre alegre e a sorrir
Traz consigo borboletas
Que esvoaçam  no canteiro das trompetas

Sem nunca o chão ferir
Arrasta brisa e cor
Incita à poesia e ao amor

Com o dom de tudo colorir
Única menina de quatro irmãos
É o primor das estações



*****
2019-03-25 
nn(in)matamorphosis




08/03/2019

De Luto, estou de luto


Entre a dor e a revolta, vivo eu, nestes dias, disto e daquilo. E não vai passar :
Enquanto existir uma mulher morta ou maltratada por aquele que deveria cuidá-la.
Enquanto existir um homem morto ou maltratado por aquela que deveria cuidá-lo.
Enquanto existir um pai ou uma mãe, ou ambos, atirados às traças, por indiferença, ou desculpas esfarrapadas do não tenho tempo mas amo-os muito.
Enquanto existirem crianças maltratadas, violadas, por quem deveria amá-las acima de tudo, e pelos outros escroques de mente podre.
Enquanto existirem homens e mulheres escravizados, à mercê da ganância de uns quantos. 
Enquanto existirem tantas outras aberrações, num mundo que se diz ser civilizado, mas que vive nas catacumbas do subterfúgio, do dissimulado, à custa de vidas mais frágeis, mais indefesas.

Então o que temos para comemorar?  

A pensar bem, mas, sem ser preciso pensar muito, porventura, o facto de ainda respirarmos a esta hora, que até ao novo dia, quem sabe, quantos perecerão por morte não natural, e quantos estarão a desejar a libertação, por ela.
Hoje, 8 de Março, estarão os restaurantes a abarrotar de mulheres, numa alegria imensa, tantas vezes exagerada e com resultados pouco dignos de serem lembrados.  

Tenho para mim, que os valores andam trocados. Que um dia de soltura, basta, para algumas mulheres de memória curta, outras tantas alienadas, e mais umas quantas tou nem aí. Afinal, hoje, não se deveria chorar por todas as que pagaram, com a vida, o facto de serem mulheres, de serem tratadas como coisa que, pertencendo a alguém, estará dependente de sua vontade?

Hoje, estou de luto, esperando que um dia, não haja dias disto e daquilo, mesmo sabendo ser utopia.

Não se comemora, ou não deveria comemorar, as lutas e a necessidade delas, por direitos que nos são intrínsecos, enquanto seres humanos. Deveríamos, antes, investir na humanização, nos valores, e no respeito pelo outro e por nós próprios.



*****
2019-03-08
nn(in)metamorphosis 




 

04/03/2019

É Karma


Não há como fugir
todos conhecemos
um Sidónio
Uma Sidónia




Sabem aquele tipo de pessoa que
não tem qualquer noção 

nem  filtros, nem maneiras, inoportuno

deixando envergonhado quem  o acompanha?

Assim é o Sid


Por mais que se avise

 o Sid, continua a não se portar bem


O que temos então de fazer?


Digam Lá


Digam mesmo, sem rodeios


Ah, pois é


TEMOS  QUE  IR 

À


 



01/03/2019

Em contramão?


Num mundo, onde tantos dizem saber muito, eu apenas sinto muito.


*****
2019-03.01
nn(in)metamorphosis