20/10/2017

Farta deles


Não sei se esta senhora pertence a um partido ou não, nem quero saber. Saber de mim é já uma trabalheira, mas que ela tem razão, lá isso tem - SOMOS TODOS CULPADOS.




 Só não lhe dou o direito de afirmar, que a escolha foi feita por todos nós (leia-se maioria) porque o governo existente, não ganhou as eleições - é um governo usurpador,  oportunista. É o que penso e está dito. Mas sinto, que o apertar do cinto a que fomos sujeitos e que agora está a permitir ao Costa fazer flores, vai chegar aí de novo, e pior que da primeira vez. Infelizmente.

Sabem que mais, só me apetece dar um tiro num pé e fugir para Espanha, e dali para o cu de judas.


*****
2017-10-20
nn(in)metamorphosis 

 

19/10/2017

Em 1961, ele falava assim



É um fenómeno curioso:
O país ergue-se indignado, moureja o dia inteiro indignado, come, bebe e diverte-se indignado, mas não passa disto.
Falta-lhe o romantismo da agressão.
Somos, socialmente, uma colectividade pacífica de revoltados".  Miguel Torga-1961



Não mudou nada, pois não?


*****
2017-10-19
nn(in)metamorphosis
 
 

18/10/2017

Era uma vez, o pinhal Del Rei


Era uma vez, uma floresta com 700 anos
a floresta dos nossos filhos 
o antes e depois de 16-10-2017 
visto por João Portugal (ex-excesso band)




*****
2017-10-18
nn(in) metamorphosis



17/10/2017

Há quem não cale


Há quem não tenha medo. Há quem não se sente no conforto do seu bem estar, e a pesar dos pesares, ponha a boca no trombone, e já não é de agora.






***** 
2017-10-17
nn(in)metamorphosis 


16/10/2017

Chove


Ainda não é muito, mas talvez chegue para dar umas tréguas aos bombeiros, e a todas as pessoas que, nestes dias, têm sido umas bravas batalhadoras.


chove
chove
chove
chove
 chove


video



*****
2017-10-16
nn(in)metamorphosis

Uma triste amostra

O diálogo pode não ser o mais adequado, 
por vezes, 
mas verão que é compreensível.


Pergunto-me como se terão sentido os outros, 
aqueles que se sentiram a assar, 
em Pedrogão Grande, e agora também.

Será que os nossos governantes conseguem dormir? 
Desta vez o que foi, outro raio?
Será que não há culpados?
O que vai ser das pessoas que tudo perderam? 
A ver por Pedrogão, bem podem esperar sentados.

UMA VERGONHA

Um 1º ministro que nos apelida de infantis.

Uma ministra inoperante.

Um secretário que diz que não podemos estar à espera dos NOSSOS bombeiros dos NOSSOS aviões (palavras dele) 

Qual vosso qual quê!

 
Um comando da protecção civil feito por gaiatos na matéria.

Que RAIO fazeis vós com o nosso dinheiro?

Onde RAIO foram parar as promessas, para garantir votos?


Para quando uma lei que proíba a compra/venda de árvores queimadas?
Num instante os incêndios diminuíram


ESTOU FARTA!
DUM GOVERNO DESLUMBRADO
TRABALHEM
PARA ISSO VOS PAGAMOS


*****
2017-10-16
nn(in)metamorphosis

15/10/2017

Poderia ser eu


Novo desafio do blog  "O meu sofá cinzento" 




Poderia ser eu    :-)


Caminhar com bom tempo, numa terra bonita, sem pressa, e ter por fim da caminhada um objectivo agradável: eis, de todas as maneiras de viver, aquela que mais me agrada.
Jean-Jacques Rousseau
 

e por aí? o que se arranja?

***** 
2017-10-15
nn(in)metamorphosis

11/10/2017

Quereis ser?


Quero ser: Tango de Gardel, cadência bem marcada, enlaçada a preceito, passos agressivos, que contam histórias de drama e paixão.

O desafio teve início  AQUI

*****
2017-10-11
nn(in)metamorphosis 

 


 

03/10/2017

Se o Outono fosse meu


Teria manhãs húmidas de céu azul sarapintado de nuvens de cinza. Teria tardes amenas, de chuva miudinha e cheiro a maça esmolfe . Teria noites frescas e lareiras indecisas, onde arderiam as cascas de tangerina, perfumando o ambiente. Teria pilha de novos livros e cacau quente. Teria serões com pijamas de flanela com bonequinhos ou florzinhas, onde se desfiariam histórias e melancolias.Teria lembranças e saudades, olhos brilhantes e sorrisos. Teria silêncios preenchidos com acordes de músicas favoritas. 


E tu, o que farias se o Outono fosse teu?


Iniciou  AQUI     e seguiu-se o  Impontual  e  o TalqualmenteOutro   e o O Cantinho da Janita 


*****
2017-10-03
nn(in)metamorphosis 


Dos dias sem cor


Que dias há que na alma me tem posto um não sei quê, que nasce não sei onde, vem não sei como, e dói não sei porquê. - Luiz Vaz de Camões

*****
2017-10-03
nn(in)metamorphosis

28/09/2017


Ora aqui está uma coisa bem feita - Uma homenagem a alguém vivo - mesmo que as rádios, na sua maioria, mal passem música portuguesa. Aqui a Rádio Comercial com a ajuda de 35 artistas, deu o mote, quem sabe a coisa pega.

video

*****
2017-09-28
nn(in)metamorphosis 



27/09/2017

Das manhãs e dos ruídos


Vou sorrindo à manhã que começa calada e se vai enchendo dos ruídos da vida.   *****2017-09-27nn(in)metamorphosis

21/09/2017

Sabeis vós, porque Amor se chama Amor?






Ainda por terras de D. Dinis


Fazia o Senhor Rei D. Dinis e a sua Santa mulher, a Rainha Santa Isabel, uma mais demorada pousada em Leiria, talvez para descansar dos muitos a fazeres do seu alto cargo. Um dia, o Rei passeando no seu fogoso corcel, galopou, galopou, campos fora, e, lá longe, num pequeno lugar vê uma camponesa formosa como nenhuma outra se vira ainda em muitas léguas ao derredor.
Apaixonou-se o Rei pela camponesa e ali, naquele lugar, no meio do campo florido de papoilas e malmequeres, nasceu naquele dia um grande amor. As visitas do Rei ao seu grande amor continuaram e tornaram-se conhecidas nas redondezas, e, àquele lugar começaram a chamar Amor.
Também a Rainha soube dos novos amores do Senhor seu marido e Rei e, para lhe mostrar a sua reprovação sem o melindrar, mandou uma noite alumiar o caminho por onde o Rei, seu esposo, deveria regressar a Leiria.

D. Dinis, ao dar com as veredas, por onde voltava, com grande alumiação, de muitos fogachos, viu estar ali uma muda intenção crítica da Rainha, e exclamou: "Até aqui cego vim!" E o sítio onde começavam as iluminarias passou a chamar-se "Cegovim", que, por uma natural corruptela popular se chama hoje Segodim







A lista dos blogues que aderiram ao desafio - AQUI
*****
2017-09-21
nn(in)metamorphosis

A Lenda da Rainha Kianda




Cada rio, cada lago, cada poço
tem uma kianda
venerada e temida
transmite o medo
cultiva o amor
no negro do kimbo
 do pescador

Rainha kianda
sereia das sereias
vive no mar
mora nos rochedos
da Fortaleza de S. Miguel
perto da Praia do Bispo
e por lá
costuma passear

Num desses dias 
diz a lenda 
kianda viu um pescador
chorando
sua pobre e triste vida
e num momento de bondade
fez seu
um tesouro sem medida

E o homem enriquecido
tornou-se invejoso, egoísta
não lhe importava ninguém
mas kianda
que o vigiava
não gostando do que via
deixou-o sem um vintém

Há quem diga que kianda
à noite
passeia pelas aldeias
encantando vilas inteiras

E quem jure
Pelo “sangue de Cristo
que já ouviu o som
da rainha das sereias
e o ladrar de cães
ou mesmo
o cantar de galos
vindo de uma aldeia
condenada
a viver para sempre
no fundo das águas

 Fortaleza de S. Miguel - Luanda

 Praia do Bispo - Luanda


Fonte: Para além do conhecimento - ePORTUGUÊSe

*****  
2017-09-21 
nn(in)metamorphosis