NÃO!

NÃO!

01/08/2018

Da escrita, a motivação e a preocupação





Acredito que escrever seja um acto solitário. Escreve-se por vários motivos e diferentes serão, também, os objectivos.

Escreve-se para partilhar, quer experiências, quer ficções.
Escreve-se por profissão e por promoção.
Escreve-se experiências vividas, situações imaginadas, e situações ambígenas - em parte vividas, em parte ficção - e, até, situações imaginadas que o autor gostaria que tivessem sido vividas. 
Escreve-se para exorcizar sentimentos e pensamentos, preocupando-se, quem escreve, apenas com a função e não tanto, com quem lê.

Na verdade, só quem escreve sabe o que o motiva, o que é real e o que imaginou. E, essa é, defendo eu, a razão da beleza da escrita e da sua grandeza – enviar uma mensagem e deixar ao leitor a liberdade de a interpretar a seu modo, de acordo com as suas vivências ou com as suas necessidades no momento. Não sendo invulgar que, um texto lido pela mesma pessoa, em períodos de tempo diferentes, tenha diferentes interpretações. O estado de espírito do leitor contribui muito para tal.

Resumindo,
não é importante querer entender o que o autor quis dizer, que razões o levaram a escrever aquele texto, ou a quem se dirigia. Ler é um prazer, e deve ser usado como tal e para tal. Que cada um se preocupe com a sua interpretação, com os sentimentos que o texto lhe inspirou, independentemente de quem o escreveu, ou porque o escreveu. Que cada um saiba tirar prazer do acto, mesmo que o texto lhe inspire tristeza, apreensão ou tão só indiferença.



*****


E agora, perguntam-se alguns:
Ela está a mandar um recadito?
Estou!  :)

Oh perguntem lá
A quem?

Por enquanto  - a um/a  anónimo/a  que se manifesta muito preocupado/a  e sem saber para onde cair – Se estou a morrer ou se fui abandonada.

Caro/a  anónimo/a – Não se preocupe, eu estou bem e recomendo-me.

Como diria meu pai – o que estimo é o que lhe desejo.

noname

PS: Volte sempre e usufrua despreocupado/a  do prazer que é ler   :)


*****
2018-08-01
nn(in)metamorphosis


4 comentários:

  1. Ah Non, não te amofines porque tu apenas és responsável por aquilo que escreves, não por aquilo que os outros lêem e interpretam, cada um à sua maneira e muitas vezes erradamente...
    Beijinho grande para ti :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como diria o mê afilhado mailindo quinté, nã m'amofino nã senhora :)

      Beijo em TU

      Eliminar
  2. Caramba... De certeza que é só alguém preocupado...

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E, eu já sosseguei o/a alguém que, anonimamente me faz chegar, por e-mails não passiveis de resposta, as suas assobiadelas viperinas.
      :-)

      Eliminar

Os comentários são moderados - tão breve quanto possível, serão publicados. Grata pela compreensão.