06/06/2018

Das estranhezas


Divago numa Primavera que não chegando, já quase acabou.

De alma comprometida com a realidade.
Criada aqui, ali e acolá, ora perto do mar, ora no vale e junto à serra. Súbdita do sol, de cores com luz, risos e gargalhadas francas, abraços apertados. Pura amante da amizade, da liberdade, da fraternidade, da igualdade desigual, que une nas diferenças. Avessa a extremismos, despotismos, racismos e a qualquer “ismo” que nasça de paixões e não de uma discussão baseada no conhecimento.

De natureza estranha
Pensamento solto, longe de ser pensadora – tentei ter ideias, sem a mínima ideia do que fazia.
Eterna aprendiz, longe de ser professora - tentei contar histórias, descobrindo que a história era eu.

De enfoque na paz de espírito, no estar, no ser.
Procuro o meu lugar de vagabunda mental. Preferencialmente, ali, onde possa olhar para a linha recta que afinal é curva.







 *****
2018-06-04
nn(in)metamorphosis 

1 comentário:

  1. Dúvidas Non, só dúvidas. Que venha o sol para nos abrir os horizontes e dissipar essa bruma de dúvidas :)
    Bjitos

    ResponderEliminar

Os comentários são moderados - tão breve quanto possível, serão publicados. Grata pela compreensão.