OUTRAS PUPAS

Outras pupas

18/10/2012

Cantigas ao desafio XVII

Corvo
 

Sou das sombras e da luz
De todo o bem e do mal
Do que iniciou o final
Do que diz morrer na cruz
Do perdão, dos pregões
Dos que tentam os sermões
Sou-lhes surdo, estou além
Tudo o que sinto é desdém
De quem me tentou seduzir
Sem jamais o conseguir
Do que faço, do que digo
Do que oiço ao ouvido
Da fúria que me move
Do desprezo que me comove
Assim me visto como sou
Assim me fico, não me dou
E da metade do todo
Sou o excesso, sou o corvo

                     15.10.2012 vc
(Cópia integral e devidamente autorizada)

******

No seu leito já deitada
Colcha de noite sem cor
Lençóis do dia bordado
De momentos sem fulgor

E num preciso momento
De rompante levantou
Sozinha não dormiria
Ali mesmo se jurou

Tapou-se de negra capa
Desdenhou sermões pregões
De capuz velou o rosto
E também as intenções

Devagar e levemente
Aquela porta empurrou
E entre a sombra e a luz
Se fez presente, assomou

Quem era ele sabia
E mesmo assim perguntou
A resposta chegou doce
De quem ao peito o criou

Sim… a morte sou!

         2012.10.17 
nn(in)metamorphosis


Sem comentários:

Enviar um comentário