OUTRAS PUPAS

Outras pupas

13/09/2015

Um prazer novo


Talvez pelo feitio, que o tempo foi lapidando, tornando-o mais refinado, menos impulsivo, quiçá também, menos puro, menos espontâneo.
Talvez pela idade. Talvez pela circunstância da globalização dos problemas. 
Talvez por isto. Talvez por aquilo. Talvez por tudo junto. 
A verdade, é que seja qual for a causa, ou causas, cada vez mais, preciso deste prazer novo, gozado em períodos curtos, ou longos, mas que a não existirem, me condenam a uma asfixia dolorosa.
Preciso, de me rodear de silêncio.
Preciso, de um silêncio, que o único (re)corte que suporta, é um som musical de fundo, para que afunde, ainda mais ,o silêncio de que preciso.

Silêncio, que não é solidão, mas mera satisfação, de estar, eu, comigo.



--- ---

*****
 2015-09-13
nn(in)metamorphosis


9 comentários:

  1. Gosto da tua forma de estar e de sentir.
    Belo poema :)
    Beijinho grande.

    ResponderEliminar
  2. Felizes os que são realmente felizes consigo mesmos......mesmo sem música! Esvaziar o cérebro de pensamentos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não chego a entrar em Zen, mas é, de qualquer modo, muito revigorante.
      .))

      Eliminar
  3. Estarmos sozinhos connosco e ser felizes, arrisco em dizer que é uma arte :)

    ResponderEliminar
  4. Se a necessidade faz o engenho, o tempo apura os sentidos :)

    ResponderEliminar
  5. Silêncio não é solidão.
    Eu preciso do silêncio para me encontrar.
    :)))

    ResponderEliminar
  6. Juro que desconhecia esta tua veia poética...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o que conheces tu de mim Jorge?
      ehehehehehh

      Eliminar