OUTRAS PUPAS

Outras pupas

08/06/2012

Sou pormenor carregado de emoção





Cada vez mais se esgrime em torno de teorias fundamentadas na razão. Seja ela verdadeira ou inventada, ou tão só para fazer valer os intentos desejados. Esquecem-se os valores da intuição pura, expulsa-se a cristalina emoção. Aniquila-se imperturbavelmente o pormenor. Vamos ficando mais pobres, menos humanos e profundamente vazios. Vamos caminhando lentamente, para um ferro-velho ausente dos pequenos e relevantes nadas.

Os pormenores sempre me fascinaram.
Tudo na minha vida é feito de pormenores. Procuro-os por todo o lado. Enquadro-os com sentido no todo. Cada um pode mudar um momento, criar uma nova situação, fazer nascer um sentir. Podem moldar uma expressão, gerir um comportamento, modificar uma vida.

Sempre defendi a emoção em prejuízo da razão.
Toda a emoção é fundamentada na delicada fragrância do pormenor, este imergido no inconsciente permite – nos intuir. A emoção é o sangue que nos corre nas veias, o pulsar de cada sensação, a magia daquilo que realmente somos. É a emoção que nos torna únicos e nos ajuda a perceber as diferenças.

Quanto à razão sempre tive dificuldade em respeitá-la.
Acredito-a sem personalidade, desprovida de carácter. Não há toque, não há cheiro, é pacóvia e pouco imaginativa. A razão não tem pormenores, é compacta e estanque. Dura e contínua, começa onde acaba. Não a sinto humana, pois a sua lógica retira-lhe toda a espontaneidade. Com a razão nascemos e morremos iguais. Esse não é o caminho, a metamorfose faz parte do percurso. É o percurso. Com a razão não somos, parecemos ser. E é aqui que voltamos ao pormenor, personagem subtil, que alimenta a intuição e nos leva às entranhas da emoção. É o sentir na sua mais livre forma, sem receios de qualquer ordem.
Recuso-me a ser 1byte ou parte de um código binário 
Sou pormenor carregado de emoção

           *****
       2012.05.08
nn(in)metamorphosis




1 comentário:

  1. Sempre gostei do equilíbrio, de dois aspectos que co-actuam em harmonia possível... Observar e intuir podem valorizar-se mutuamente, por exemplo. O progresso no auto e hetero-conhecimento ´é assim mais rápido e produtivo.
    Há pessoas que nasceram com fraca intuição e a essas só a razão lhes pode valer... Lidar com pessoas 100% razoáveis, porém, nem sempre é fácil. Nem aliciante.

    ResponderEliminar