11/10/2016

"Coisas" a que me recuso chamar de - homens



Eu não concordo que se corte a macieira por ter uma maça podre. Todavia, com as notícias que nos vão chegando,  tenho que aceitar que, entre os profissionais taxistas, haja muita fruta podre. 
Hoje, fiquei perplexa, quando ouvi um taxista, inflamado e cheio de certeza, afirmar que: "as leis são como as meninas virgens, são para violar".

Eu ouvi bem? 
Ele disse aquilo mesmo? 
Pois não é que disse mesmo!

Soube, também, que o (ia dizer senhor, mas isso ele não é) taxista em questão de seu nome Jorge Máximo, já é herdeiro e biseiro na forma, desordeira, violenta e sexista, com que  se expressa.


Não para bem dele, mas das mulheres que possam existir na sua casa, espero que um dos seus colegas de profissão, ou uma outra aberração qualquer, não pense da mesma maneira que este energúmeno, que parece esquecer-se (se é que tem inteligência para se lembrar) que as "meninas virgens" são as suas filhas, irmãs, sobrinhas, netas, amigas, tias, primas etc etc.

É claro, que há destas aberrações em qualquer profissão e status mas, hoje falamos da luta dos taxistas contra a Uber, e de tanta fruta podre que, acaba a levar o publico, a ceifar a eito, o que não deixa de ser uma pena.



*****
2016-10-11
nn(in)metamorphosis

15 comentários:

  1. Olha lá, chamares homem a este inergumeno e outros semelhantes é uma ofensa para os homens. Um gajo que diz uma coisa destas é um animal irracional, que eu também sou animal, e embora não pense, raciocino...

    :)

    ResponderEliminar
  2. Entendo que a perplexidade te tenha turvado a visão
    - chamo-lhe aberração
    - chamo-lhe coisa
    - nunca lhe chamei homem, que para ele ser digno de o ser, teria que morrer e nascer outra vez.

    :)

    ResponderEliminar
  3. O que eu vi foi um fulano careca, tipo brutamontes, dar pontapés e murros num carro que ia a passar. É assim , que eles acham que devem manifestar-se? Para levar pela frente tudo o que lhes aparece. Vergonhoso tudo isto. Bom seria que a comunicação social nem lhes ligasse nenhuma atenção.
    Mas, olha, quem antes não conhecia a Uber e os seus serviços, ficou a conhecer e certamente, quando precisar vai optar por eles. Com tudo isto ainda andaram aos tiros nos próprios pés...

    Neste caso, acho que houve um certo mal entendido. Penso que o homem se referia à ilegalidade dos serviços da Uber e dizia que eles estavam a violar a lei . Usando essa desastrosa força de expressão. Ninguém, em seu perfeito juízo, diria uma barbaridade dessas.
    É claro que surgem logo os vídeos para deitar mais lenha na fogueira e ganhar dinheiro com as visualizações.
    Sempre gostei de pensar pela minha cabeça, e é esta a ilação que tiro do que ouvi e vi.

    Um beijo, Noname.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não Janita, essa coisa não se enganou.

      "Contactado pelo Expresso, Carlos Ramos, Presidente da Federação Portuguesa do Táxi, condenou as declarações e disse que a associação se irá demarcar delas publicamente. Esta não terá sido a primeira vez que Jorge Máximo disse a frase. “É condenável a todos os níveis. É mais uma expressão de um industrial que contribuiu para a má imagem que nós já temos. Deixou mal a classe, e já não é a primeira vez que o diz. Há uns tempos repetiu a frase numa reunião e tivemos de o chamar à atenção."

      Também hoje no programa da manhã na SIC a Júlia Pinheiro e o Hernâni Carvalho corroboraram estas e outras situações, em tempos diferentes.

      Lamentável. E nem é preciso os média inflamarem, por que o assunto é on fire.

      Beijinho Janita

      Eliminar
    2. Sendo assim, isto atinge proporções de crime público e como tal deve ser punido.
      Sabes, NN? Há coisas tão sórdidas que a mim até me custa acreditar que sejam verdade, tento sempre ver e saber, antes de condenar.
      Mas, fosse eu juiz, este já estaria a pagar.

      Beijinho

      Eliminar
    3. Também eu fico, sempre na corda bamba - e se calhar não foi assim - e só ouvimos um lado - mas aqui a coisa é publica e por mais que ele agora diga não ser A ser B - Temos pena, os antecedentes condenem-no.

      Abreijo daqui até aí :))

      Eliminar
  4. A pergunta que fica é: quais serão as consequências para este ser perante tais declarações públicas?

    Aguardo para ver (mas sem esperança).

    Beijinho,
    FATifer

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão curiosa quanto tu, esperando que seja crime público.

      Abreijo em TU, tás melhor?

      Eliminar
    2. Estou “bem” dentro do possível. De hoje a uma semana saberei se está sarado ;)

      Beijinhos e obrigado pela preocupação,
      FATifer

      Eliminar
  5. Incrível! Mas esta gente está boa da cabeça? Só um animal irracional teria um comentários infeliz assim...
    Mas existem maus profissionais em todas as profissões, este seguramente é um deles.
    Triste!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este "Coisa" é dos que envergonham a classe, já de si tão periclitante no que se refere a bons costumes de convivência com o público.

      E assim vai o mundo :))

      Beijocas GM

      Eliminar
  6. Eu vi isso no blog da Miúda........
    Aqui ouvir isso é comum!!!
    O Brasil se tornou um imenso país onde o crime compensa....

    ResponderEliminar
  7. Isto por cá não está a ficar melhor.
    Já vai longe o tempo do sossego e calmaria
    Mau, muito mau, é quando quando estas aberrações, começam a ser entendidas/aceites como normais e a fazer parte do quotidiano.

    ResponderEliminar
  8. Há gente podre em todo lado. Dizer que os táxis são todos assim é afirmar que os muçulmanos são todos terroristas.
    O pior ainda é permitirem que gente como esse sujeito venha a público dizer o que quer que seja.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes de mais, grata pela sua visita Inês.
      Se reparou, tive o cuidado também, de nem generalizar nem radicalizar, porque os extremos sempre me incomodaram.
      Essa "coisa" para azar dos bons taxistas, é taxista, mas podia ter outra profissão qualquer.

      :)



      Eliminar