29/12/2015

2015 - Balanço



Estamos a escassos passos de deixar para trás mais um ano e, com ele, todas as horas perdidas que não voltam mais.
Todavia, não vejo com maus olhos, esse ciclo de doze meses que agora finda, porque ao mesmo tempo, e de forma implícita, que nos diz que tudo passa, nos diz também, que tudo se pode recomeçar, com mais qualidade, com mais sabedoria

Tal como uma empresa faz o seu balanço ao fim de cada ano, também eu, me conto, me debito e credito em perdas e ganhos, me lanço a prazo e me disponibilizo no imediato.  me contabilizo numa demonstração de resultados.


Disponibilidades
Amizade, amor, carinho, beijos e abraços

Terceiros
Zerei quase todos os ressentimentos
*  Perdoei a quem me ofendeu

Existências
Família, amigos e inimigos de estimação (todos de saúde e recomendáveis)
trabalho, saúde, dinheiro qb, alguma diversão e música, muita música.

Imobilizações
Responsabilizei-me por todas as minhas escolhas
Consegui ser surda à maior parte dos apelos negativos

Capital, Reservas, Resultados Transitados
Consciência tranquila, durmo pouco mas, muito bem

Custos e Perdas
*  Mas não esqueci

Proveitos e Ganhos
Agradeci as realizações, as vivências, as emoções
Fiz das derrotas ensinamentos

Resultados
  * Disponibilizei o que tenho de bom, aproveitou quem o soube colher
  * Mantive-me credora de terceiros
  * Alimentei-me das existências
  * Controlei o imobilizado
  * Transitei para o ano seguinte, a família que me resta,
     os amigos que já tinha, e os que estão em construção,
     para além de muito optimismo
  * Custaram-me as perdas mas, sigo em frente
  * Aproveitei tudo o que ganhei


E venha daí o novo ano
E que seja melhor, porque para pior chega assim

eheheheh

        *****
    2015-12-29
nn(in)metamorphosis

09/12/2015

Noname? Oui, cést moi


Roam-se de invejinha
ehehehehe

2º Post - Ó pra EU aqui


Para que seja entendível - Aconselho a que comece a leitura pelo 1º post






CNGIL, achas que os XXL Blues a aceitam, nos coros?



*****
2015-12-09
nn(in)metamorphosis



07/12/2015

E... ZAZ


E... Ela canta que é um mimo
E... Como me identifico com a letra desta canção
E... Vai daí guardei, nas coisas que gosto



E vai daí ZAZ - Aqui mesmo



*****
2015-12-07
nn(in)metamorphosis


05/12/2015

Dos silêncios


Um dia, vou falar-te dos meus silêncios
E nesse dia, espero que me ouças


*****
2015-12-05
nn(in)metamorphosis


03/12/2015

Yessssssssss


Não sei em que país. Não sei em que mundo. Não sei em que galáxia. 
Mas, afinal,  parece que ela existe, e mesmo tendo os olhos vendados (assim ma apresentam, por cá, onde, que eu saiba, jamais assentou arraiais) tenho para mim, que tem o ouvido muito sensível ao vil metal. 
Bom, mas onde existe, posso afirmar que: vê para caraças e tem uma pontaria a toda a prova

ahahahahahaha



vídeo


*****
2015-12-03
nn(in)metamorphosis




02/12/2015

2015



O Natal dos meus sonhos
é aquele que é idealizado
no espírito
sentido no coração
e partilhado na solidariedade o ano inteiro




01/12/2015

Dezembro


É 1 de Dezembro
É Inverno
Faz frio, mas no ar, anda já um calor que só se sente, neste mês, nesta época, e que muitas vezes, faz de Janeiro, um mês longo e gélido.
O calor do subsídio de Natal, dos que o têm, dos que o receberam, aquece já as ruas, engalanadas de mil lâmpadas, que se adivinham, uma alegria morna, na noite, e pelas músicas que trespassam as portas das lojas, num convite, que só o olhar entende, nas montras das vaidades e necessidades.
E neste calor, que exala de homens, mulheres e crianças, de ar feliz, e que andam num virote, devagar, apressados, ou a trote, transportando os presentes enlaçados e ensacados a rigor, comprados com tempo, escolhidos pelos presenteados, que na noite de Natal, farão um ar de completa surpresa e contentamento.
Nada contra, embora Dezembro, seja para mim, um mês de muito más recordações , e já não me ilumine, nem o olhar, nem o coração.
O que me incomoda, é o outro lado. Aquele lado  das pessoas que, não receberam subsídio de Natal, nem o vão receber. Uns porque lho foram pagando a conta gotas e se diluiu numa já parca reforma, outros porque nem emprego têm, e o subsídio de desemprego há muito se foi. Todavia, para estes homens, mulheres e suas crianças, Dezembro também lembra festa, presentes, uma ceia em família  e... Não seja um familiar, um amigo, que ainda consiga ajudá-los, vão ter, apenas, um mês mais frio, uma noite mais triste.

É Dezembro
É Inverno
E estará sempre frio, até que uma única alma, o tenha que atravessar só, sem aconchego, sem uma sopa quente.

video

Cabe a vós, comentar

*****
2015-12-01
nn(in)metamorphosis