23/09/2015

Há lá coisa melhor?




Para guardar na memória, 
                      simples, com cheiro e sabor.

Uma caminhada na praia, ali, onde a onda se espraia, já quebrada. Cabelos ao vento, sol no rosto, que chega quente, como quem me trás notícias. Brilham-me os olhos, estampado na boca, um sorriso, daqueles quase idiotas mas, que não conseguimos deixar de ter, e vou-me enchendo de maresia, de perfume a mar, a imensidão.
Desde que me lembro, foram sempre as coisas simples que mais alegrias me deram, aquelas coisas que não se compram e, nunca entendi, que houvesse quem não me entendesse.
E seguindo, chutando a água de vez em quando, tal miúda traquina, dou-me a pensar, nesta pessoa que sou e como, por vezes, gostaria de ser diferente. Mas não dá, não pode, sou como sou, este é o meu carácter, terá nascido comigo, ou foi-se construindo, vivemos um agarrado ao outro, os dois fazemos um – Eu.
Agito a cabeça, como quem espalha os pensamentos, (re) ligo o modo simples, e penso… Mudar? Eu? Para quê? Se sou feliz assim!

Olho de lado, como se o quisesse enganar, mergulho…

Nada como a simplicidade das coisas simples, que de tão grandes, são muitos os que não as vêem, e não sabem o que perdem.

Vou atirar-me ao mar e dizer que mem purrarem :-)


*****
 2015-09-23
nn(in)metamorphosis


8 comentários:

  1. As simples coisas da vida são as melhores memórias que guardaremos.
    Não podias ser diferente, porque és TU.
    Beijo imenso.:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois... Sou eu, com tudo o que isso acarreta :-)

      Eliminar
  2. Gosto da simplicidade das coisas que me fazem sorrir. São essas que me fazem feliz.
    Muito bonito noname :)

    ResponderEliminar
  3. O que me ocorre depois de ler este post, é que escreves estupidamente bem!

    ResponderEliminar
  4. Tãããoooo booooooom!

    Beijo, noname. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boooooooooommmmmm e Revigorante :=)

      Eliminar