25/03/2014

No reino da imaginação





No reino da imaginação, qu’importa 50 ou 5
Eu voo, salto, canto, rio e brinco

Ergo uma casa num sítio à minha escolha
Tapo um poço artesiano com uma rolha

 Viajo ao fim do mundo
Navego no mar profundo

 Num abraço encontro uma nuvem
Num beijo mil sonhos surgem

Num toque nasce uma flor
Num olhar um grande amor

 Nasce uma árvore, um arbusto
Uma tempestade e um susto

 Nasce uma lagrima à tristeza arrancada
Nasce a alegria num pirolito na esplanada

Nasce um rio nasce um mar
Nasce tudo o que eu lembrar

 Ah! No reino da imaginação…

Nasce o desejo e a situação
Nasce o problema e a solução


***** 
2014.03.25 
nn(in)metamrphosis 

23/03/2014

Cata Ventos




Consigo sentir o cheiro...
E quase sentir o gosto...
Do raro sabor da infância
Há muito tempo perdida
E uma lágrima intrometida
Teima em rolar-me no rosto

 É que hoje olhando em volta
É tudo tão diferente...
Não vejo meninas correndo com cata ventos na mão
Nem meninos aos magotes atirando o seu pião
Ninguém à beira do fogo
Contando victórias pra gente

Parece que foi ontem
Mas passaram tantos anos...
Foram chegando de manso
Sulcando este rosto velho
  Passou a vida num tiro
Fez poeira dos planos

Agora é esperar a morte
Que no peito é já inverno
Quem dera voltar no tempo
Ver nascer a primavera no chilreio das crianças
Nos Cata ventos e piões nos caracóis e nas tranças
Mas…  
só o perfume do jasmim é sagrado e eterno



 *****
2014.03.23 
nn(in)metamorphosis 




21/03/2014

Há dias...



Em que me apetece fazer coisas, que nem ao diabo lembra.


           *****
         2014.03.21
nn(in)metamorphosis





19/03/2014

O teu dia é todos os dias





E cada dia, é dia teu, é dia meu, é dia nosso
E tantas vezes sou ainda a criança que te chama
E espera o teu beijo de boa noite na cama
Na minha saudade continuamos juntos pai


*****
19.03.2014  
nn(in)metamorphosis



 

03/03/2014

(En)laça-me





O mistério é o mote
A cilada o olhar
O jogo é falso
Mas a contenda real
Aconchego firme e tenso
Golpes de precisão feroz
Linhas fugazes no tabuado
Riscadas pelo salto agulha
Na perfeita simbiose de corpos títeres
Subtis tentáculos de mentes inquietas

 Seria fácil fugir do truque
Não fosse tua
A mão que me venda os olhos... 


 *****   
2014.03.03 
nn(in)metamorphosis