26/01/2014

Porque me escrevo


Gosto de escrevinhar. E escrevinho pela simples necessidade de tatuar a vida no papel, para me libertar de fantasmas, amaciar tristezas, recuperar momentos, segurar memórias. 
 As palavras
emergem-me
dilaceram-me
mortificam-me
coisam-me
ressuscitam-me


*****
2014.01.26 
nn(in)metamorphosis


25/01/2014

Cantigas ao desafio XXV



Azul de corvo, azul



Tarde tardava na noite
Essa ideia peregrina
De sentir a minha noite
Como se ela fosse minha
De tão ansiar que ela fosse
A noite que queria sozinha
Perdi a noção ao tempo
Larguei mão do sentimento
Nessa noite tão tardia
E em desespero de causa
Rasguei a ideia sombria
Perdi-me nas labaredas
Duma prece doentia
De ter uma noite velada
Que fosse uma noite só minha



           2014.01.24  VC
(Cópia integral e autorizada)


         *****

É só minha, não divido

Na noite que é só minha
ninguém pressentirá o encanto antigo
que ambulará no ar como um perfume
e no tremeluz das velas, e nas vestes negras
com que a minha noite se veste,  um silêncio
que só eu, poderei entender
Na noite que é só minha
liberta enfim de todas as mágoas, todos serão surdos
quem sabe , os teus ouvidos, só eles, ouçam
no silêncio da casa, velando...
uma voz serena,  tão clara e tão longínqua
e mesmo sem saber de onde vem, nem porque vem
talvez só tu… a não esqueças.

     *****
     2014.01.25 
nn(in)metamorphosis

20/01/2014

O dia em que aprendemos a viver, ou começamos a morrer?



Um dia… aprendemos
a movermo-nos no silêncio dos caminhos empedrados, na suavidade da relva fresca, a amar o som das árvores, e o real valor da palavra contubérnio(1),  que viver, é mais do que estar pleno de vida, movermo-nos livremente e sentirmos com intensidade desmedida
 Aprendemos tudo isso, quando o corpo olvida a luxúria da carne viva.




(1) Vida em comum=Coabitação

Vida em comum. = COABITAÇÃO

"contubérnio", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/contub%C3%A9rnio [consultado em 21-03-2014].
Vida em comum. = COABITAÇÃO

"contubérnio", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/contub%C3%A9rnio [consultado em 21-03-2014].Vida en comum=
1. Vida em comum. = COABITAÇÃO

"contubérnio", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/contub%C3%A9rnio [consultado em 21-03-2014].
1. Vida em comum. = COABITAÇÃO

"contubérnio", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/contub%C3%A9rnio [consultado em 21-03-2014].
Vida em comum. = COABITAÇÃO

"contubérnio", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/contub%C3%A9rnio [consultado em 21-03-2014].
Vida em comum. = COABITAÇÃO

"contubérnio", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/contub%C3%A9rnio [consultado em 21-03-2014].
Vida em comum. = COABITAÇÃO

"contubérnio", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/contub%C3%A9rnio [consultado em 21-03-2014].



     *****
       2014.01.20
nn(in)metamorphosis


17/01/2014

Controvérsias








Não falo de sonho reflectido no olhar,
falo do sítio, do ar, do sol no rosto

 Não falo da dificuldade para sentir o simples,
falo que nada é mais simples que sentir

 Não falo de noites umas iguais às outras,
Falo de dias em que se pernoita acordados

 Não falo do que sempre soube,
falo do que se pode aprender

Não falo de amor e paz,
falo da guerra adentro da pele

Não falo de olhos nos olhos,
falo de vontades neles diluídas

Não falo de solidão,
falo de ausência


*****
2014.01.17 
nn(in)metamorphosis 

12/01/2014

Desarvoradas obscuridades



Chegas tão devagarinho
que quase te consomes
nas sombras que me visitam
quando, ao abandono
escrevo palavras soltas.
A lua não apareceu
talvez tenha encalhado
na madrugada da noite anterior
quando já dormias.
E as estrelas, essas
rumam desnorteadas
neste mar de letras
que se queriam
oceano de palavras
mas se dissipam nas dunas
que não foram nossas.


 *****
2014.01.12 
 nn(in)metamorphosis

08/01/2014

Quando alguém se torna invisível



...e de tão habituados a que ela tomasse conta de todos, ninguém percebeu que era ela, que mais necessitava de cuidado...


"Que eu não perca a vontade de ajudar as pessoas,
mesmo sabendo que muitas delas são incapazes de ver, 
reconhecer e retribuir esta ajuda." 
Chico Xavier.

         ***** 
       2014.01.08
nn(in)metamorphosis