06/02/2013

Quando os sons são tons de vida





Hoje, enquanto me passeava pelos CD´s, este veio ter-me à mão. Quanto tempo passou desde que ouvi pela primeira vez estes acordes, à altura em vinil e, eu, uma jovem, tão longe do ponto geográfico de onde me encontro agora. Olho-o… e à memória vem a lembrança exacta de onde o ouvi pela primeira vez. Abro a caixa e calmamente coloco-o no DVD, uns instantes e… os acordes da guitarra enchem o espaço, recordam-me emoções que há muito não se cruzavam comigo, nas escadas da vida que tentamos subir para nos levar a um lugar melhor. Ainda que de modo inconsciente, por vezes, acho que vivo de peter pan… custa ver que o tempo passou, que já muitas folhas caíram em Outonos chuvosos, entardeceres húmidos e manhãs frias em que custa deixar o calor da cama que tantas vezes abrigou as lágrimas da saudade, por algo que foi violentamente interrompido, ficando a eterna fantasia do que poderia ter sido, do que não chegou a ser. Samba pa ti, um marco indelével na vida de uma vida (a minha) no período em que somos felizes e não sabemos.

           *****
        2012.02.06
nn(in)metamorphosis



Sem comentários:

Enviar um comentário