03/11/2012

Passos no escuro





Uma caneca de café
Um biscoito na mão
Uma alma sem fé
Passadas sem chão
De olhar perdido
Que olha e não vê
Futuro esquecido
Presente á mercê
Na vida que passa
Indaga o seu mundo
Paira sem graça
No escuro profundo
Escora a revolta
Tão seca tão fria
Por dentro a rasgar
Tolhendo a alegria
Num rio mirrado
Vazio, sem fim
Seca o olhar
Espera o motim

*******
   2012.11.03
nn(in)metamorphosis


Sem comentários:

Enviar um comentário