31/07/2011

Mariposa

imagem manipulada por mim

Bebi do azul do céu
Até mais não poder beber
Ébria, enlouqueci, e dancei…
 
Sonhei-me…
 
Linda mariposa
Senhora dos prados floridos
Dançando com gestos coloridos
 
Estiquei as asas…
E num esvoaçar
Fui em direcção ao mar
 
Veio a noite…
E matou o meu voar
Ai de mim…
Só me resta o meu sonhar

*****
nn(in)metamorphosis
31.07.2011



29/07/2011

Viajante fatigada

Viajante fatigada
E de meu, não tenho nada
 
Só a saudade estafada
Só a tristeza agressiva
Que me abate a cada instante
Que leva meu sopro de vida
  
Nem sou filha
Nem sou mãe
 
Sou o sul não tendo o norte  
Sou solidão ambulante
Das tristezas desta vida
Só me livra a própria morte
 
Viajante fatigada
E de meu, não tenho nada
Mas esse nada… é meu!

****************
nn(in)metamorphosis
2011.07.28


27/07/2011

Sonhar, eu preciso...

Sonhar, eu preciso, escapulir-me nas asas livres do pensamento, desse espírito de rebanho que se propõe teimosamente em me delimitar, seja lá no que for. Que o insignificante que eu faça, seja a cada minuto, o melhor que consegui fazer.
Sonhar, eu preciso, pois se renuncio a isso, varre-se a ultima luz e nada mais valerá a pena


**************** 
 2011.07.27
nn (in) metamorphosis

02/07/2011

Quando a noite cai em mim

Sob o negro do celeste tecto, sinto-me por vezes perdida e nessa cobertura sem estrelas, vou esquecendo as cores da vida
Inanimada em meu cerne, no que bate pelos sentimentos, sinto-me menos que cinzas por nostálgicos e longos momentos
Dou os meus olhos à negridão, das noites sem timbre, olho a minha própria escuridão, analiso os passos que vou dando em vão
Vai ficando apenas a vasta escuridão, da noite melancólica que me cobre, e no meu interior, o embaraço, de quem nem a si própria se descobre

**************** 
2011.07.01
nn (in) metamorphosis