OUTRAS PUPAS

Outras pupas

28/10/2009

Carta aberta, a alguém que nos chama de “amigo”





Estou triste...
numa tristeza tão grande, que não sei sequer, se tenho o poder, ou sabedoria de a poder quantificar.
Se perdemos um familiar, um amigo, porque morreu…
nós choramos a perda, guarda-mo-lo no cantinho da saudade e recorda-mo-lo em momentos felizes.
Mas se alguém nos mata, mesmo nós continuando vivos, porque, por falta de tempo, de interesse, ou tudo junto, não nos conhece, ou não quis conhecer e nos remete a “mau carácter, dissimulado, trapaceiro”  o que chorar? o que fazer?


Eu terei sido a escolha mais fácil, a que menos prejuízo te traria, talvez…


Não te choro,
chora-me tu a mim, porque me matas por ignorância, por inércia.
Não te choro,
chora-me tu a mim, porque estás a perder alguém que te respeita pelo que és.
Não te choro,
chora-me tu a mim, enquanto espero que surja a verdade,
e nessa altura… olha para trás e faz valer o motivo porque te respeito…

**************** 
nn(in)metamorphosis
2009.10.28

Sem comentários:

Enviar um comentário